Estados Unidos vc. Billie Holiday

Este ano fomos apresentados a vários filmes biográficos como “Mank”, “Uma Noite em Miami” e “A Voz Suprema do Blues”. Ainda nessa pegada chega “Os Estados Unidos Vs Billie Holiday”. A trama gira em torno da controversa vida da famosíssima cantora de Jazz que morreu cedo pelo abuso de drogas. Billie inspirou o estilo de vários cantores e mudou a narrativa do Blues. Diferente de “O Ocaso de uma Estrela” (1972) protagonizado por Diana Ross, o filme foca apenas em determinado período da vida de Billie contando outros fatos tristes de sua vida pregressa em pequenos flashbacks.

Estados Unidos Vs Billie Holiday” mostra como o racismo era enraizado em uma sociedade hipócrita que como por mais absurdo que pareça isso não mudou até hoje. Enquanto ativistas lutavam pelos direitos de negros não poderem mais ser linchados nos Estados Unidos pela Ku Klux Klan, Billie  usava seu talento musical para que o mundo todo ouvisse seu apelo através da música Strange Fruit (em português, Estranho Fruto).

 

Apesar da polícia liderada por Jimmy Fletcher e de vários conservadores da época afirmarem que a perseguição a cantora era pelo uso de entorpecentes, o filme deixa claro que era pura perseguição racial. Onde uma mulher negra podia até cantar para entreter as massas, mas nunca ser forte ou ter voz ativa sem que isso incomodasse os poderosos.

A atriz e cantora Andra Day encarnou a personagem de forma magistral, o talento da atriz faz com que esqueçamos que não estamos vendo a verdadeira Billi Holiday em cena, o que lhe rendeu merecida indicação ao Oscar de Melhor Atriz.

O diretor Lee Daniels (O Mordomo da Casa Branca) utiliza ainda a vida de Billie para ilustras os inúmeros abusos vividos por uma criança pobre sem oportunidade. E deixa a lição, o que uma criança viveu no passado determina quem será no futuro. O preto e branco utilizado de forma pontual em alguns momentos dão o ar de veracidade a trama, reproduzindo no filme fotos reais. Como já era de se esperar, as músicas são shows à parte, tornando-se verdadeiras personagens do longa que mistura todos os tipos de emoção. Difícil entender porquê não foi indicado à ainda mais prêmios.